Criar um Site Grátis Fantástico




ONLINE
1




Partilhe esta Página




ERMIDA MARIAZINHA PENNA
ERMIDA MARIAZINHA PENNA

HISTÓRICO:

Mariazinha Penna: Uma jovem, que sofreu muito antes de morrer aos 20 anos de idade, hoje apontada como milagrosa.

DADOS BIOGRÁFICOS:

Maria Zaira Cordova Penna nasceu na Estação Colônia, antigo distrito de Santa Maria, hoje chamado Camobi, em 13 de abril de 1933. Numa tarde, aos 16 anos de idade, a jovem, ao sair do banho, colidiu sua coxa contra uma cadeira. A batida forte protagonizou uma contusão, que de início não chamou a atenção, mas em pouco tempo, mudou para sempre a vida da moça.

Algum tempo após a batida na perna, Maria começou a ter dificuldades para andar. Logo começaram as primeiras dores.

Seu namorado, Antonio Carlos, acompanhando seu sofrimento, prometeu a Santo Antão subir de joelhos o morro onde está situada a capela que homenageia o Santo e guarda sua imagem,no distrito de Santo Antão. Cumprida a promessa, a moça sentiuse bem durante um ano.

Porém, as dores na perna aos poucos voltaram. Maria fez várias radiografias, tantas aplicações lhe provocaram uma queimadura. Após tratamento fora da cidade, foi constatado câncer na parte alta do fêmur, apresentando um tumor ósseo bem desenvolvido. Ela regressava com uma ferida aberta na perna. Nesse momento, Antonio Carlos a pediu em noivado. Ela recusou dizendo que não queria prendê-lo a uma jovem doente.

A saúde de Maria piorava a cada dia. Ela não conseguia mais ficar em pé, teve de passar os próximos nove meses em um lugar onde não sairia viva: a cama. A morfina aplicada a cada duas horas já não lhe fazia efeito. Sua perna foi inchando e ela emagrecendo.

 Para enfrentar a dor, Maria rezava. Sua oração predileta era o Salve Rainha, a qual era acompanhada dia ou noite pelo Monsenhor Frederico Didonet, que a consagrou Filha de Maria. As dores se tornavam cada vez mais agudas. De sua perna fluía uma secreção mal cheirosa, que escorria para uma vasilha que era aromatizada todos os dias. Seu fim estava próximo. últimos dias, ela estava muito fraca e desfigurada, seu pé há meses estava se desfazendo e em decomposição. Ficou cega e entrou em coma. No último dia de vida, voltou a ver e estava lúcida. O odor em seu quarto era insuportável, mas quando faleceu, em 11 de outubro de 1953, o cheiro sumiu, passando a exalar um perfume de rosas pela casa.

Um mês após sua morte, começaram os pedidos a Maria. Chamada

carinhosamente de Mariazinha pela família, amigos e devotos, sua presença nunca foi esquecida em Santa Maria.

Desde o dia 30 de novembro de 2008 foi inaugurada a Ermida da Mariazinha Penna, inicia onde ela nasceu o terço como é de costume também no seu tumulo no Cemitério municipal de Santa Maria exatamente às 15 horas com a participação de um grande número de pessoas. 
 
  
DEVOÇÃO POPULAR:
TODAS AS SEGUNDAS-FEIRAS, ÀS 15HORAS A COMUNIDADE SE ENCONTRA PARA O TERÇO EM HOMENAGEM À MARIAZINHA PENNA, AO LADO DO SALÃO PAROQUIAL.